Para onde ela foi.

Gayle Forman

Novo Conceito

119919840_1gg2

Para onde ela foi É a continuação do best-seller de Gayle Forman, mas de uma visão diferente.

Depois do acidente onde perdeu toda a sua família , Mia vive o conflito de morrer ou seguir a sua vida sem eles.  No final do libro Se eu ficar., Adam faz um desabafo a namorada, dizendo que se ela for, ele entenderia, mas que ele gostaria que ela ficasse.

E nesse pedido que para onde ela foi é baseado. Todo o livro é a narrativa do Adam, a vida dele depois o horrível acidente sofrido pela família da namorada.

Todas as memorias do Adam, o sucesso da banda dele e seu alcoolismo como válvula de escape da dor que a decisão da Mia causou nele.

Sinceramente, se o primeiro livro já foi maravilhoso, o segundo é totalmente sem palavras. Eu realmente achei ele muito melhor do que o Se eu ficar. Não é tão triste , mas é tão envolvente e emocionante quanto .

Adam é um narrador maravilhoso e totalmente apaixonante e é diferente quando você vê a situação pela perspectiva masculina. O amor dele pela Mia, o modo como ele também sente saudades da família dela, como ele também sofre pela perda deles é impossível você não se envolver e torcer muito por ele.

Quando eu terminei de ler Se eu ficar. Estava no ônibus indo para o estágio e fiquei trastornada pela continuação. Então eu desci no ponto seguinte, fui ao shopping entrei na livraria, peguei o que eu precisava e voltei pro ponto de ônibus. Devorando cada pedaço do Adam, li o livro em um dia e meio  e depois fiquei naquela depressão pós livro.

Para onde ela foi, ai fazer com que você se apaixone pelo Adam e entender porque a Mia era tão louca por ele.

Boa leitura!

 

Anúncios

Do que vejo no espelho sei pouco

Dinair Fonte

Editora Singular

6696039e-d2a7-4d82-ad51-e8619f711dd54

Agnes é uma doce jovem de 30 anos, que mora com seus pais e irmão e a sobrinha adolescente e é apaixonada por seu amigo Gabriel. Ao dividir suas memórias com a gente, com o seu jeito doce e meigo, Agnes imediatamente vira uma parte da gente. Aquela amiga tímida mas divertida que tem sempre um sorriso doce e um abraço acolhedor.

As memórias dela, se misturam muitos com as nossas e você realmente se confunde até onde é você leitor e a personagem.

Do que vejo no espelho sei pouco, é um livro de memórias de uma jovem cheia de penamentos lindos, com uma alma sonhadora e o coração frágil . Mas que sente desajustada ao mundo real.

Agnes é um pouco de todo mundo, quem é que nunca se afastou de um amigo por se apaixonar e não ser correspondida? Ou tem um cheiro especial que te leva imediatamente para sua infância, onde só de seu pai segurar a sua mão, fazia o monstro ir embora? Quem nunca teve dificuldades em lidar com a filha/ sobrinha/ irmã ou filha adolescente? São nesses momentos que a leitura desse livro se parece tanto com nós mesmos. Muitas vezes parecemos ler, nosso diário, ou parece que Agnes entende exatamente o que estamos sentindo. Aquela vontade de jogar tudo pro alto de fugir!

Esse livro vai fazer você voltar a ser criança e a olhar lá dentro de você, vai fazer com que você reviva memórias tão boas de sí mesmo e de tudo que aconteceu na sua vida, até onde você está agora.

Boa leitura!

 

 

 

 

 

O retorno do jovem Príncipe.

A.G Roemmers

Fontanar

livro_RetornoJovemPrincipe

Quem me conhece sabe o quanto  a obra de Antoine de Saint – Exupéry, é importante para mim, e tenho a certeza que para milhares de pessoas. O pequeno Príncipe e a sua ternura, ultrapassa gerações e dispensa apresentações.

O amor pelo  pequeno menino de cabelos dourados é tanto que ele ganhou muitas versões pelo mundo desde desenhos animados e animação à filme estrelado por  Gene Wilder, fazendo a raposa e o mais recente premiada adaptação, que estreou ano passado. Fora a quantidade enorme de livros em diferentes versões e línguas. O Principezinho está cada vez mais vivo.

E foi pensando assim que o escritor argentino A.G. Roemmers  resolveu trazer O pequeno Príncipe para os dias atuais.

O retorno do Jovem Príncipe começa, quando o narrador está dirigindo em um estrada deserta na Patagônia, até que avista um embrulho azul no meio da estrada. Ao reduzir a velocidade identifica uma mecha de cabelo dourado, até descobrir que sob o capa azul, dormia profundamente  um jovem menino, alí no meio da estrada à quilômetros do vilarejo mais próximo. E é assim que nosso Príncipe começa sua viagem de carro.

Em muitos momentos podemos identificar o pequeno príncipe. Desde as vestes ao questionamento contante do menino que nunca para de perguntar. O jovem conta de sua viagem sobre os asteroides  que passou, até por fim chegar a terra e todas as pessoas que conheceu nessa jornada. Em muitos momentos da leitura, eu realmente me emocionei muito, mas também houve as vezes em que eu senti uma descaracterização do personagem principal. E mesmo ele sendo um jovem agora,ele ainda era o pequeno Príncipe, então algumas coisas realmente me incomodaram na leitura.

Mas vale a pena conhecer o livro e o modo como o autor recria um dos personagens mais amados da literatura mundial. Uma coisa eu garanto, vocês vão se emocionar.

Boa leitura!

 

Se eu ficar.

Gayle Forman

 

se-eu-ficar.jpg.1000x1353_q85_crop

A cerca de dois anos  eu vi em um usuário no instagram, dizendo que tinha lido o livro e que era maravilhoso.

Bom, foi o que eu precisava para correr a uma livraria e comprar o meu exemplar de Se eu ficar.. A minha edição é da Novo Conceito, então na ilustração da capa já contém  as cenas do filme e fotos de  Chloë Moretz e  Jamie Blackley.

O livro começa em um momento super gostoso, o café da manhã da violoncelista  Mia e sua família que cancela todos os compromissos por causa de uma nevasca e resolvem aproveitar o dia juntos e visitar um casal de amigos. E é ai que começa todo o sofrimento de Mia , todo desespero dela, para decidir se fica com seus pais e seu irmão ou se fica com seu namorado Adam e o sonho de ir para Juilliard School estudar música.

Mia presencia todos os acontecimentos, as noticias de seus pais e irmão, o desespero e a tristeza de seus avós , a chegada de Adam e de sua melhor amiga  ao hospital e a tentativa de ajuda de seus amigos para que ele consiga entrar no CTI escondido da enfermeira.

Quando eu comprei o livro, eu imaginei que era triste, pois a pessoa que havia indicado o livro no Instagram, disse que chorou rios. Mas fiz o possível para me manter longe de spoilers. Então eu não fazia ideia do por quê a seguidora tinha chorado rios.

Até eu ler…

Eu me lembro que quando li a cena do acidente e a forma a qual Gayle a descreve , eu não acreditei no que tava acontecendo, eu estava dentro do ônibus e eu me recordo de olhar para o trocador, totalmente atordoada, respirar e reler. E as lágrimas brotaram dos meus olhos e uma dor imensa dominou meu coração no momento em que ela viu o pai dela e eu imaginei a cena toda na minha cabeça e você realmente começa a criar um conflito interno sobre ela ir ou ficar.

você realmente enxerga todos os motivos as quais ela tem para ir embora, mas ao mesmo tempo o amor do Adam por ela é tão puro e ela tem os avós dela que você vê todos os motivos para ela ficar.

Eu terminei esse livro com meu coração despedaçado e ansioso por mais, por mais de Mia e Adam e de tudo que aconteceria depois, se houver um depois.

Se eu ficar, é desses livros que te fazem perder o ar, como se você estivesse totalmente submerso e precisasse subir à superfície para buscar ar, antes de se submergir novamente .

Peguem seus brownies e boa leitura!

 

Quem é você Alaska?

John Green

editora intrinseca

7371328_1GG.jpg

Li esse livro há um ano mais ou menos e infelizmente ele foi parar no limbo dos livros emprestados e nunca mais devolvidos. Quem é você Alaska? Foi primeiro livro escrito por John Green. Mas só ganhou destaque depois que A culpa é das estrelas virou Best seller.

Embora eu não seja muito fã de romances adolescentes, o autor trabalha essas relações de uma forma bem persuasiva e interessante.

Na vida todo mundo tem aquela amiga maluquinha, divertida e interessante, se você não tem é porque você é essa amiga. E o cara nerd, bonito e introspetivo. Que se apaixona pela menina e não tem coragem de falar.

Miles é o típico nerd, meio anti social e tímido que tem como hábito as decorar ultimas palavras ditas por personalidades em seus leitos de morte.

Ele decide ir estudar no mesmo internato onde seu pai se formou. Em busca do seu grande talvez e conhece seus amigos, Coronel e Alasca.

Eu gosto da maneira como John, coloca as mulheres de seus livros como independentes e determinadas, com atitude. Nada de mocinhas frágeis. São todas mulheres, que mesmo sofrendo de doenças e que tenha o lado emocional meio defeituoso. São mulheres determinadas e cheias de vida.

Eu sentia falta de mulheres assim na literatura atual, já que a grande maioria tem problemas de autoestima e são vulneráveis. Só se sentem bem, felizes ou completas quando encontram o tal amor das suas vidas.

As mulheres de John Green , elas ditam as regras de suas vidas, elas são determinadas, envolventes, divertidas e apaixonantes. Elas são o amor da vida de algum pobre coitado tímido demais para se declarar e posso dizer com quase certeza, muito mais parecidas com você e comigo.

Boa leitura!

 

Como eu era antes de você

Jojo Moyes

Editora Intrinseca

 

113201204_1GG

Sei que eu já valei sobre o livro de Jojo Moyes aqui no blog.  Mas o filme vai chegar aos cinemas na primeira quinzena do mês que vem e eu vou listar alguns motivos para você correr para o cinema com uma caixa enorme de lenço de papel nas mãos.

primeiro motivo :

Emilia Clarke, Se você assim como eu é fã da série da HBO, sabe o quanto a atriz é além de muito linda, super talentosa. Antes de fazer a mãe dos dragões Daenerys Targaryen,  teve alguns poucos papeis de destaque, mas foi na série baseada na obra de George R.R. Martin que atriz explodiu mundialmente. Esse filme é uma chance de ver uma outra Emilia Clarke, fora do mundo de Game of Thrones.

Segundo motivo:

O Mais novo amor da minha vida Sam Claflin.  Eu já tinha visto alguns muitos filmes com ele, mas nunca tinha prestado atenção realmente nele. Tinha o Finnick Odair em jogos vorazes e Philip Swift na franquia de Piratas do Caribe. Mas foi em love, Rosie que me apaixonei totalmente pelo Alex e por seu interprete.  Já temos muita certeza que Sam é um ator incrível e que faz nossos corações derreter com seu olhar de cãozinho abandonado. mas interpretar Will Traynor e toda a complexidade do personagem é um desafio e tanto.

Terceiro Motivo:

No livro Louisa Clark, é uma menina linda e cheia de vida, mas que se sente o tanto quanto perdida na vida. Sente que está constantemente incomodando os seus pais, por ainda morar com eles, a cafeteria que ela amava trabalhar, fechou. Ela não tem muitos amigos e namora um pseudo atleta egocêntrico. E aí ela vai trabalhar na casa do Will e ele é sempre bastante hostil e debochado, o que mais uma vez a deixa perdida e a deixa com vontade de desistir, só que ela precisa do dinheiro e não pode simplesmente jogar tido pro alto assim.

Sem contar que todo mundo, até o pai de Louisa, critica o jeito ao qual ela se veste.

Quantas vezes na vida, isso aconteceu com você? Quantas vezes você quase desistiu de ser você mesmo por causa do comportamento dos outros? Ou se sentiu impotente ou diminuída, por que as pessoas tem a mania de dizer que na sua idade elas já eram donas de castelos na Dinamarca e eram casadas e com filhos? Ou um chefe grosseiro e mau humorado era capaz de tirar toda cor do seu dia? Ou você namora um apessoa que não presta a menor atenção no que você fala e só quer que você faça ou haja da maneira a qual ele acha melhor?

E de repente vem alguém que te enxerga exatamente como você é, com todas as suas loucuras e incertezas e se apaixona por você.

Quarto motivo:

A perspectiva do outro . lembra que eu falei do chefe grosseiro e mau humorado?

Então, algumas pessoas são cruéis com outras pessoas , pelo motivo de simplesmente não conseguirem lidar com seus problemas pessoais e emocionais, então elas ficam de mal com a vida e projetam no outro suas frustrações.

Will era um cara rico., bonito, gostoso e saudável que de repente , depois de ser atropelado, se vê preso em uma cadeira de rodas pro resto da vida. E compreendi a depressão que ele se encontra. É extremamente compreensível, embora você ache ele cruel as vezes , você entende e existe uma linha tênue entre compreender a revolta dele e ser permissiva por pena.]

Como eu era antes de você, me fez ter uma outra visão de tudo e de como as vezes a gente julga alguém se compreender as razões que ela tem para ser assim. Não é justificar, ninguém tem o direito de humilhar ou machucar alguém por causa das suas frustrações, mas de apenas compreender e não levar isso para o lado pessoal. O problema não é você é realmente ela.

Quinto motivo:

É clichê mas é lindo.  O livro é lindo e eu chorei tanto. Eu queria tanto, tanto, tanto me enfiar no livro e estar junto com a Louisa, queria implorar para que o Will mudasse seus planos…

É humanamente impossível não chorar. Se você gosta de filmes que fazem a sua sala parecer o titanic, você vai amar.

Sexto motivo:

Ed Sheeran, o ruivo mais fofo do mundo, faz parte da trilha sonora original do filme. E se já não bastasse as músicas do Ed serem carregadas de sentimentos, vai embalar a história de amor de Louisa Clark e Will Taynor, dando ainda mais emoção a essa história tão linda.

A música photograph, faz parte do trailer oficial do filme.

Sétimo motivo:

O livro é simplesmente fantástico e maravilhoso, desses romances que fazem você se envolver palavra por palavra. Fala de tudo que engloba o amor. Confiança, amizade, perseverança, respeito, carinho, companheirismo., felicidade, saudade… Todos os ingredientes que compõe o amor, que fazem ele nascer.

Se você ainda não leu o livro, ainda tem um tempinho para isso antes dele chegar ao cinema.

Boa leitura!

 

 

 

 

 

 

 

O iluminado

 

 Stephen King

Suma de letras

9788581050485_300_grafica.jpg

Em uma ida a livraria, vendo algumas obras de Stephen King, percebi que nunca havia lido nenhum livro do escritor na minha vida e nem visto a aclamada adaptação para o cinema do  seu maior  best seller.

Meus amigos todos enlouquecem e disseram o quanto eu deveria ver esse filme e o quanto ele era incrível. Resolvi ver o filme, mas não sem antes ler o livro e foi a melhor decisão que tomei na vida.

O iluminado, foi lançado em 1977 e foi o livro mais vendido do autor. E é simplesmente brilhante. Com as narrativas do Danny e dos pais dele, Jack e Wendy Torrance.  É bem mais envolvente e muito mais emocionante e assustador.

Você sente como se fosse o garoto e como se  visse através dos olhos dele os acontecimentos no Overlook Hotel. É tão aterrorizante e ao mesmo tempo viciante e indescritível.

Muitas vezes eu o lia na condução voltando pra casa ou indo para o trabalho  e tinha que levantar a cabeça em alguns momentos para respirar e lembrar a mim mesma que era um livro.

Me lembrou um filme que eu amava quando era criança, chamado jumanji, onde as crianças são sugadas para dentro do jogo e vivem muitas situações estranhas.

Foi assim que eu me senti lendo esse livro. Como se cada vez que eu abrisse ele eu era imediatamente sugada para dentro das páginas e vivesse todas as situações com Danny e Tommi.

Bom, depois que li o livro aceitei ver o filme que foi lançado três anos depois do livro. E embora a atuação de Jack Nicholson, seja inebriante, há muitas diferenças comparadas ao livro. Confesso que a cena em que os arbustos do hotel “perseguem” Jack Torrance, no livro me deixaram paralisada, mas no filme não foi tão empolgante quanto a leitura.

Mas ainda assim é um clássico e um filme magnifico.  Depois que li o iluminado, tive interesse em outros livros de Stephen King e estou lendo outras obras do autor.

E vale muito a pena a forma como ele escreve suas obras é capaz de fazer você se esquecer do tempo, mas ficar de olhos bem abertos e trancar bem a porta do seu guarda roupa e suas janelas, quando for dormir.

Boa leitura!